4 CHAVES PARA A SUSTENTAÇÃO DO ÊXTASE



No mundo somos condicionados a pensar compulsivamente. Isso nos fez perder a conexão com o belo e com a Verdade: nós olhamos para uma paisagem e não a vemos; ouvimos uma música, mas não a escutamos. Isso acontece porque a mente está muito ocupada em classificar e rotular. O máximo que surge é uma interpretação mecânica do que os sentidos estão recebendo: “Que bonito!”. Mas, na verdade, você não está vendo ou escutando porque, para isso realmente acontecer, o vazio se faz necessário, pois somente uma mente serena é capaz de perceber o Ser. 


Quanto mais intensa é a percepção do Ser, mais brilho e beleza você vê. O que te impede de ter a consciência da unidade é a mente agitada que, além de impedir a percepção da beleza, também não permite que você produza beleza. A mente agitada somente pode reproduzir agitação, seja na forma da arte ou de qualquer outra produção visível no mundo. Toda a feiúra é resultado da agitação da mente. Todos os protestos de onipotência, todo o medo, o ódio, o sofrimento... Tudo isso ganha forma na matéria através da reação, ou seja, o contrário da ação.

Ação é aquilo que nasce do coração. O coração é o próprio Ser. Estando com a mente serena, o Ser se manifestará e você perceberá que está conectado a tudo. Você perceberá o corpo como um pequeno aspecto da realidade e verá que você é a própria vida, cuja essência é o amor. Qual é a natureza de uma flor? Perfumar e embelezar. Mas, o que move essa flor a perfumar e embelezar? É o amor, pois ele move tudo o que existe. Então, quando se tem um vislumbre do eterno, é natural que você seja consumido pelo amor.
Mas, quando você se relaciona com o outro, existe a tendência de novamente perder a presença porque sua mente tende a se agitar. Por isso é importante você sempre se lembrar de um fundamental desafio para a espécie humana que é manter a presença enquanto se relaciona.

O que vai te ajudar é tomar consciência do seu egoísmo para que possa conscientemente escolher partilhar o seu tesouro espiritual com os outros. Para que você queira conscientemente fazer com que essa tremenda energia espiritual, que é o amor passando por você, chegue até o outro, pois essa é a principal chave para a sustentação do êxtase.

FASE PREPARATÓRIA – A CURA DA CRIANÇA FERIDA


A ascensão para as oitavas superiores só é possível se você já evoluiu o suficiente no trabalho de cura da sua criança ferida; se já progrediu no processo de transformação dos pontos de ódio e medo no seu sistema, o que equivale a dizer que você já se libertou, em algum grau, da dor registrada no seu corpo. Isso significa que houve uma desidentificação do passado. Portanto, a fase preparatória do processo de sustentação do êxtase é a liberação do ódio e do medo do sistema. Ao liberar o ódio e o medo, você também libera o orgulho e todos os outros ‘eus’ psicológicos que estão a serviço deles.
Nessa fase, o trabalho é encarar os aspectos negados da personalidade com o objetivo de remover as máscaras que sustentam a hipocrisia.

Quando a máscara é removida, você entra em contato com a realidade pouco agradável do seu eu inferior negado. Essa não é a sua realidade final, mas ainda é mais você do que a máscara. E porque o eu inferior foi negado? Por causa do moralismo: é errado sentir ciúme e inveja; é feio ser egoísta... Então, você aprende a se esconder usando uma máscara. Ao removê-la, você encontra os sentimentos e impulsos negados que, para facilitar o entendimento, costumo sintetizar em medo e ódio.

PRIMEIRA CHAVE – AMPLIFICAÇÃO DO CAMPO DE ENERGIA

A primeira chave para a sustentação do êxtase é a ampliação do campo de energia. Existem muitas maneiras de fazer isso, mas a energia só poderá de fato ser sustentada se você já estiver podendo lembrar-se de si mesmo, ou seja, se puder manter-se presente.

Saia para o seu dia com a percepção de que está vivendo num mundo espiritual. A presença aflora essa qualidade do espírito. Através dela, você percebe que tudo é sagrado e que Deus está em tudo que é vivo; você percebe a divindade manifestando-se em tudo. A partir dessa percepção, você pode pedir pela sua conexão com o divino: “Que eu seja um contigo e que a nossa ligação nunca seja quebrada”. Você verá que a conexão está estabelecida ou a ilusão da desconexão é dissolvida quando puder perceber a beleza ao seu redor. Quanto mais intensa a sua conexão, mais beleza você verá. E quando começar a sentir seu coração se abrindo (o que é um resultado da conexão com a verdade), amplifique sua atenção e observe que um ponto realça em beleza: talvez uma árvore, uma flor, uma obra de arte... Nesse momento, inspire profundamente e faça a respiração completa. Você perceberá que sua energia vai ampliar mais e mais.

Além da oração, o corpo é a principal ponte para a presença, outra prática importante para o estabelecimento da presença é ocupação do corpo. Portanto, esteja presente, ocupe o seu corpo. Se puder fazer isso e realmente escolher sustentar o campo de energia elevado, a presença será sustentada.

A prática da presença envolve dois elementos que são a observação e totalidade na ação. Experimente, durante o seu dia a dia, mover-se no mundo material, mantendo a presença em todas as suas ações. Dessa forma, cada ato se tornará um sadhana - não importa se você está lavando louça, dirigindo o seu carro ou sentado na frente do computador - tudo que você faz pode se tornar uma prática espiritual direcionada para ancorar a consciência suprema. Ao mesmo tempo, observe tudo que é transitório sem se apegar. Totalidade na ação e observação serena, juntas: isso é a prática da presença.

SEGUNDA CHAVE – IRRADIAÇÃO DE BÊNÇÃOS PARA TODOS

Esta é a segunda chave para a sustentação do êxtase: fazer com que a energia conscientemente chegue até o outro; é irradiar bênçãos para que todos recebam essa luz. Nesse ponto, é importante que você tenha progredido na fase preparatória, pois isso somente é possível se você quiser ver o outro feliz. Nessa etapa, não cabe a máscara do amoroso; para sustentar o prazer cósmico é básico que você queira verdadeiramente ver o outro brilhar. Como tenho dito: O amor que você tanto busca receber somente chegará quando esse mesmo amor estiver fluindo abundantemente do seu próprio coração. Portanto, a sua oração deve ser: “Que todos os seres sejam felizes; que todos os seres sejam ditosos; que todos os seres estejam em paz”.

Você aprende a direcionar a energia para o outro através da visualização. Não importa onde você está (no ônibus, no restaurante, no carro...), utilize a sua mente para fazer com que a energia que está passando através do seu corpo chegue até o outro e o ilumine. Você visualiza a energia partindo do seu coração, indo em direção aos que estão próximos, chegando até pessoas e lugares distantes, atravessando os oceanos, alcançando a atmosfera terrestre, até que atinja todo o planeta. Você realiza essa prática até que chega um momento em que ela acontece tão naturalmente, que não é mais necessário nenhum esforço, pois você se torna uma prece.

Essa chave é um movimento consciente em direção ao despertar do amor. Se você não conseguir realizá-la, significa que ainda está preso em algum ponto do seu passado. Então, utilize as ferramentas do ABC e comece a identificar as situações nas quais você perde a presença e as pessoas com as quais não consegue ser amoroso. Você certamente verá que ainda existe um resquício de apego ao passado; ainda há um desejo de vingança; você ainda está forçando os seus maus pais a serem bons pais; ainda está revoltado, com raiva do mundo.

Viva a vida sustentando a percepção de que tudo é divino e belo; expanda a sua energia e aprenda a dividi-la com os outros; coloque seus dons e talentos a serviço do amor. Assim, pouco a pouco, a sua vida se transforma numa oração em prol da felicidade coletiva; você se torna um canal de bênçãos: por onde você passa, o seu amor ilumina. Mas, isso somente é possível se você verdadeiramente desejar ver o outro feliz; se realmente quiser se tornar um canal do amor divino.

TERCEIRA CHAVE – PERCEPÇÃO DA SINCRONICIDADE

Tendo progredido no processo de ancorar da presença, você está pronto para a terceira chave: a percepção da sincronicidade, que é a habilidade de reconhecer os sinais que a existência oferece para nos indicar a direção dos próximos passos da nossa jornada evolutiva. É muito importante você estar atento para essas “mágicas coincidências”, pois elas apontam a direção da realização do seu destino, do seu dharma.

A sincronicidade está acontecendo o tempo todo - ela é a linguagem da existência. O universo sempre está conversando com você, mas, muitas vezes, você está tão denso, e identificado com os pensamentos, que não percebe. Basta aquietar a mente e ampliar a sua percepção para notar que Deus está se comunicando com você em tempo integral. Ele fala através da sua intuição; e a intuição se expressa através da sincronicidade. A intuição é a voz de Deus, a voz do coração. Por isso, eu trabalho para que você possa confiar plenamente na sua intuição; para que ela seja tão concreta quanto o seu intelecto.

Quando você se permite ser guiado pela intuição e pela sincronicidade, o seu destino vai se revelando e a sua fé vai aumentando. Você deixa de achar que está abandonado nesse mundo, porque sente que existe uma inteligência superior te guiando. Você vai se entregando e, pouco a pouco, vai deixando o medo que gera a necessidade de autoria e de controle. Na raiz do “é meu” e do “eu faço” está o medo: tanto da morte quanto da vida. Esse medo existe porque você se sente sozinho e separado de Deus, como uma gotinha de água separada do oceano. É por isso que todos buscam a experiência da guiança; todos querem se libertar desse sentimento de orfandade. O que você mais procura nessa vida? Sentir alegria. A alegria se manifesta quando você sente que não está sozinho. Mas, cabe a você amadurecer o suficiente para fazer a escolha de pedir pela conexão com o divino. Cabe a você sintonizar a sua mente e a sua atenção para perceber a sincronicidade, pois essa é uma das chaves para a ativação da intencionalidade positiva (a escolha deliberada de libertar-se). Os sinais da sincronicidade estão justamente te guiando para a realização do seu propósito, que é a autorrealização.

QUARTA CHAVE – CONFIANÇA NA SABEDORIA DA INCERTEZA

A quarta chave é a renúncia das expectativas. Talvez essa seja a mais importante das chaves nessa fase do processo. Sem ela, não é possível se deixar ser guiado pela intuição, pois ela diz respeito à aceitação. Você só se permitirá ser guiado pelos sinais se estiver livre da necessidade de controlar; se puder abrir mão de um determinado desfecho desejado para as situações da sua vida. Em síntese, a chave é viver de uma forma desprendida, saboreando a sabedoria da incerteza.

Eu percebo que talvez um dos principais obstáculos para a realização da meta espiritual seja a necessidade do ego de controlar a caminhada. E a forma de controle que ele utiliza é justamente tentar que as coisas aconteçam da forma como ele planejou. Eu não estou dizendo que você não pode ter planos ou fazer um planejamento para a realização de determinadas metas. É claro que, para se mover no plano horizontal (plano material), você precisa traçar um programa; é natural que você faça uma agenda e tenha uma idéia do resultado que as suas ações vão gerar. Até aqui tudo bem, o problema é que o ego, agindo a partir do medo, procura controlar o destino e se assusta quando o resultado não é o esperado (isso faz com que ele acione seus variados mecanismos de defesa). O que estou dizendo é que você precisa aprender a confiar na sabedoria da incerteza, que é aceitar o que chega para você. Não brigue, apenas observe.

Mas, isso somente é possível se você pode viver de forma desprendida. É imprescindível que você tenha liberdade para se mover. Essa chave é justamente para remover a rigidez criada pelo ego, que determina que as coisas devem ser de um jeito específico. Quando o ego se apropria da experiência, ele também rebaixa a sua consciência, e você volta para o vale de lágrimas e ranger de dentes; você volta para o estado limitado determinado pela identificação com a forma; e é claro que isso gera sofrimento. Porque você é muito grande para estar nesse espaço limitado. Está apertado ai dentro. Você é o infinito alojado em poucos centímetros cúbicos.

O que te ajuda a sustentar o estado iluminado é a liberdade de ser você mesmo e poder amar desinteressadamente; de estar livre para seguir os sinais que a natureza está te dando sem se prender a um resultado específico. Mas, para isso, precisamos abrir mão da necessidade de garantia e da ideia de que tudo precisa ser absolutamente seguro. Essa segurança que você procura é uma ilusão criada pela mente; é um truque do ego, pois isso não existe.
Somente quando nos abrimos para o campo infinito de possibilidades que a sabedoria da incerteza proporciona, é que poderemos experienciar o entusiasmo pela vida. Se você acha que a vida tem que ser uma receita de bolo que você sabe décor e salteado todos os ingredientes e qual será o resultado, você perde o entusiasmo de viver, e começa a cavar a sua cova. Cada ação é apenas uma enxadada para cavar o buraco onde você será enterrado. Eu sei que é horrível, mas é a mais pura verdade. Porque, ao deixar de viver o mistério da vida para manter a sua falsa segurança, você está somente esperando a morte chegar. A vida deixa de se manifestar através de você, pois o entusiasmo de viver está na disposição para desvendar esse mistério, que somente pode ser desvendado através do coração. Portanto, se você quer entender a vida com a cabeça e precisa que tudo seja absolutamente seguro, a sua vida se torna muito chata e sem graça; e é por isso que você vive tão angustiado. 

Deixar que a vida flua naturalmente, sem querer controlar os resultados, é se abrir para a alegria e para a liberdade; e a liberdade promove o êxtase. Eu poderia ir direto ao ponto dizendo que a liberdade que sustenta o êxtase, mas é preciso caminhar para chegar até lá, e eu estou lhe mostrando o caminho. Esse é o Caminho do Coração, que te leva de volta à morada sagrada.

Em síntese: Trabalhe para transformar os pontos de ódio e medo do seu sistema, encarando os aspectos negados da sua personalidade; Isso vai permitir que você silencie a mente, tornando-a receptiva para a percepção da beleza, através da qual você vai ampliar o seu campo de energia. Conscientemente, expanda essa energia para os outros, irradiando benções para todo o planeta. Mantenha a consciência de que nada está separado e que tudo é divino, prestando atenção na sincronicidade, as “coincidências misteriosas” da vida, pois elas trazem mensagens e presentes para você. Mas, não crie expectativas em relação aos presentes, simplesmente flua pela vida, confiando na sabedoria da incerteza. Você verá que, pouco a pouco, você permanecerá nesse estado de alegria sem causa por mais tempo, até que possa sustentar o êxtase eterno.

Sri Prem Baba
(Trecho extraído do livro "Transitando do Sofrimento para a Alegria")

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário. Agradecemos a sua visita.