ALMAS E XAMANISMO




O xamã é sempre uma pessoa que está sempre pronta a confrontar os seus medos mais profundos e todos os aspectos sombrios de sua vida física. O xamã é uma pessoa que desceu até os seus próprios mundos sombrios, confrontando-se com seus medos mais ocultos e também com os subterrâneos da maldade alheia. 


Isto lhe trouxe a capacidade de saber lidar tanto com as forças das trevas, quanto as forças da luz. Com o dualismo operativo nesse nível... mas sempre com a consciência unificada.

Há muitas pessoas hoje em dia que se denominam Xamãs sem nem sequer saber o que isto significa exatamente. Se estes pretensos xamãs não possuirem a capacidade de mergulhar em seus próprios subterrâneos sombrios, não estão ainda preparados para seguir o verdadeiro caminho do Xamã. 

Os verdadeiros xamãs não precisam ficar se gabando nem se exibindo para os outros. Eles trabalham em silêncio e em total humildade porque sabem que aos olhos do Grande Mistério o seu valor já está sendo reconhecido.

Um Xamã é aquele indivíduo que caminhou até os portais do seu inferno pessoal e teve coragem de entrar. Um verdadeiro Xamã é aquele que enfrentou e venceu os demônios autoconcebidos do medo, da insanidade, da solidão, da auto-importância e dos vícios ao passar pela gama de mortes do Xamã.

O xamanismo é também a capacidade de comungar com todos os espíritos que habitam em todos os níveis da Criação. 

Os melhores xamãs que encontramos hoje em dia são aqueles curadores curados, que já trilharam o caminho da morte e renascimento, destruindo as sombras que obscureciam sua clareza interior. Um xamã consegue reconhecer o lado obscuro de seu próprio ser e percebe a escuridão semelhante nos indivíduos.

A qualidade que melhor define um Xamã de verdade é o seu sentido de compaixão pelos caminhos que os outros ainda precisam trilhar, já que ele também atravessou o mundo subterrâneo das sombras e conhece diretamente a dor e o sofrimento envolvidos neste processo.

JAMIE SAMS


Om Shanti